VW Arteon 2.0 TDI (150 cv) – Topo de gama e de satisfação

Texto: Júlio Santos
Data: 6 Abril, 2018

A Volkswagen precisava de um topo de gama que interpretasse o seu ADN, a sua história e tudo o que isso determina no que toca às expetativas dos clientes. O Arteon cumpre com esse imperativo. Está agora disponível com uma renda de 491€/mês (27,5% de Tributação Autónoma).

Há quem não prescinda de uma marca premium e quem nem sequer pondere essa opção, pelos motivos mais diversos. Daquilo de que poucos prescindirão é de escolher um bom carro. Sabendo que as duas coisas não estão necessariamente ligadas compreendemos ainda melhor porque é que a VW é vulgarmente apontada como a marca generalista mais próxima das premium. Os seus produtos apresentam, invariavelmente, uma qualidade exemplar e, cada vez mais, as tecnologias mais avançadas, a que se junta uma estética que concilia elegância e sobriedade.

Os VW mais recentes são interpretes magistrais deste posicionamento e, por isso, a responsabilidade de ocupar o topo da hierarquia é ainda maior. E o que se pode dizer é que o Arteon assume em todos os detalhes esse papel de projetar a imagem da Volkswagen junto dos clientes mais exigentes. Se a marca precisava de um modelo capaz de dar expressão à sua história e, também, á forma como está a planear o futuro, o Arteon é esse modelo.

Convincente e sedutor

Como sempre acontece no início de qualquer relação, também aqui a aparência conta. Muito. Para o Arteon, a Volkswagen optou pela configuração coupé de cinco portas, tão sedutora quanto difícil de interpretar em carroçarias de grandes dimensões, o que torna o resultado final ainda mais convincente; o Arteon cativa no primeiro olhar e, onde quer que esteja, polariza as atenções. A grelha frontal e a forma como integra os grupos óticos é bem a demonstração do empenho estilístico perseguido em todos os detalhes. Tal como a forma suave como o tejadilho se “funde” com a traseira curta, sem prejudicar o acesso aos lugares posteriores, como tantas vezes acontece nestes automóveis.

A este respeito pode aliás dizer-se que o Arteon recorda-nos a definição de design: forma e função. Ou seja, o apuro estilístico, a busca conseguida de uma aparência cativante, em momento algum ditou o sacrifício da funcionalidade. A carroçaria com quase 4,9 metros de comprimento, sem molduras nas portas mas com uma rigidez estrutural exemplar, testemunha isso mesmo. Mas a expressão cabal do que dissemos surge no interior amplo, onde acedemos sem o mínimo constrangimento e onde o conceito de espaço, conforto, elegância, versatilidade e funcionalidade alcançam patamares invulgares. Também neste caso percebemos que estamos perante um automóvel com objetivos claros. Também neste caso percebemos esse objetivo é alcançado sem “fogo de vista”. Sobriedade e sofisticação conjugam-se de maneira invulgar.

Olhamos em redor e os materiais, como a decoração, lembram-nos que estamos perante um topo de gama. Tal como o equipamento que comporta todos os dispositivos mais recentes de ajuda à condução, segurança, entretenimento e conectividade. Algo que valorizamos nas longas viagens em que temos que estar “ligados” ao escritório de forma segura e, também, quando queremos ter a certeza de que escolhemos o melhor carro para a família, destacando-se aqui a capacidade da bagageira (563 litros) e a funcionalidade decorrente da grande amplitude de abertura da porta, permitindo arrumar com facilidade objetos de grandes dimensões. E, de novo, os detalhes. Para todos. Para os que viajam na traseira, a visibilidade é desafogada, ao contrário do que é comum nas carroçarias coupé, enquanto na frente a instrumentação digital e a facilidade de operação de todos os dispositivos são a expressão cabal de que a prioridade foram as pessoas e não o marketing, sendo de destacar a excelente posição de condução e a facilidade com que encontramos a posição ideal ao volante.

Argumentos para as empresas

Uma posição que nos convida a explorar as capacidades do Arteon cuja plataforma caracterizada pela ampla distância entre eixos e uma largura de vias generosa explica o amplo espaço a bordo e a estabilidade perfeita em todas as circunstâncias. O Arteon convence aqueles para quem o prazer de condução é inegociável. Sem prejuízo do conforto, o acerto do chassis é firme e a direção precisa e, assim, sentimos plena confiança para explorar as capacidades do motor turbodiesel de 2.0 litros que nesta versão de 150 cv privilegia a economia, sendo muito bem “auxiliado” pela caixa de velocidades DSG (opcional) com sete relações que pode ser funcionar em modo totalmente automático ou utilizando as patilhas colocadas no volante. Sem ser exuberante ao nível da aceleração pura, não restam dúvidas que numa utilização normal, em viagem ou em cidade, este 2.0 TDI na versão de 150 cv está sobretudo á vontade nos regimes baixos e intermédios, o que se traduz numa condução despreocupada.

É este o trunfo principal desta versão, tal como a economia expressa no facto de, mesmo sem preocupações, conseguirmos uma média de viagem abaixo dos cinco litros por cada centena de quilómetros, enquanto num trajeto de cidade esse valor sobe menos de um litro. Boas notícias, por tanto, qualquer que seja a utilização.

Mas as boas notícias não ficam por aqui uma vez que a VW, segundo apurámos, decidiu fazer uma aposta forte visando a aproximação do Arteon às empresas. Esse objetivo traduz-se na negociação de preço que permite colocar o carro no escalão de 27,5% no que respeita à Tributação Autónoma, ao mesmo tempo que o VW Bank propõe um contrato de 36 meses com uma renda mensal de 491 euros (IVA incluído).

Se a estes valores agora ajustados juntarmos o facto de o valor residual estar a evoluir de forma positiva (situando-se agora nos 46% ao cabo de 48 meses), bem como os reduzidos custos de manutenção (estimados em 1537€, para o mesmo período) fica claro que o VW Arteon assume-se, cada vez mais, como uma opção plena de argumentos não apenas para aqueles que procuram um automóvel capaz de lhes proporcionar satisfação plena em todos os capítulos, como para as empresas que privilegiam fatores racionais como os custos de utilização.

 

Nelson Lopes, Head of Business Line Fleet da Volkswagen Financial Services –

“Segundo escalão da tributação autónoma”

 

Os modelos da Volkswagen despertam um elevado interesse junto do mercado empresarial. Segundo Lopes, Head of Business Line da Volkswagen Financial Services, “além da qualidade e preço imbatíveis, os veículos Volkswagen apresentam caraterísticas que são uma mais-valia para os clientes. O responsável acrescenta que a marca “tem o cuidado de enquadrar as suas ‘viaturas de frota’ nos escalões de tributação autónoma, o que constitui uma importante vantagem competitiva para o segmento empresarial”. Nelson Lopes adianta que o “Volkswagen Financial Services procura oferecer as melhores condições financeiras para quem quer adquirir um veículo”. Nas marcas do Grupo Volkswagen, a oferta do Volkswagen Financial Services é umas das “melhores do mercado, com rendas muito competitivas”.

Relativamente ao Volkswagen Arteon, o porta-voz da Volkswagen Financial Services refere que se trata de um “coupé com um estilo muito próprio que se destaca pelo elevado espaço e conforto a bordo para os cinco ocupantes, bem como pela bagageira”. As suas caraterísticas técnicas, com motorizações diversificadas, aliado ao equipamento e ao design marcante, tornam-no num “veículo de referência no seu segmento”, adiantando que este modelo da Volkswagen se enquadra no segundo escalão da tributação autónoma, o que é “uma importante mais-valia e o torna bastante apetecível para clientes empresariais”. Para Nelson Lopes, o facto de ser um “modelo em início de ciclo de vida reforça a sua atratividade, contribuindo para um maior nível de satisfação dos colaboradores”.

A Volkswagen Financial Services disponibiliza diferentes soluções de financiamento e, segundo Nelson Lopes, “em todos os casos apresenta uma renda muito competitiva face aos veículos do seu segmento”. Ao enquadrar-se num escalão de tributação autónoma também permite uma maior “eficiência ao nível dos custos de operação, que é reforçada pelos serviços prestados pelo Volkswagen Financial Servives na gestão de frotas”, conclui o responsável.

Partilhar